Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha é celebrado em todo o país


(imagem: reprodução)

(imagem: reprodução)

Nesta sexta-feira (25) é celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Com o objetivo de ampliar e fortalecer a união e a mobilização das mulheres negras no continente, a data foi criada após o I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas em Santo Domingo, na República Dominicana, em 1992.

Antes tímida no país, hoje a data é mais articulada e mobiliza diversos encontros, debates e atividades em torno das questões da mulher negra na sociedade. Para a escritora e produtora cultural, Raquel Almeida, o aumento desta articulação tem colaborado para que mais mulheres tornem-se protagonistas da luta contra o machismo e o racismo.

Porém, de acordo com Raquel, o ainda feminismo precisa sair dos muros da intelectualidade para conseguir entender melhor a realidade das mulheres da periferia. Segundo a escritora existem várias questões dentro do feminismo negro que são específicas e que muitas vezes entram em choque com alguns pensamentos da corrente feminista.

Para lembrar a data, estão confirmadas atividades em São Paulo, Brasília, Salvador, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre, Corumbá, Manaus e em dez cidades de Minas Gerais. (pulsar/vermelho)

Faça um comentário

95 − 87 =