Depois da Alemanha, Noruega congela repasses para Fundo Amazônia


Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, anunciou nesta quinta-feira (15) que o país também irá suspender o repasse de cerca de R$ 133 milhões para o Fundo Amazônia. A decisão vem após diversas críticas sobre a condução da política ambiental do governo Bolsonaro e segue o mesmo caminho da Alemanha. Na tarde desta quinta-feira (15), deputados pediram explicações ao ministro Ricardo Salles sobre a gestão do Fundo.

Desde a criação do Fundo a Noruega já doou cerca de R$ 3,19 bilhões e decidiu paralisar as doações após o Brasil modificar o comité técnico do Fundo. “O Brasil rompeu o acordo com a Noruega e a Alemanha desde que o país fechou a diretoria do Fundo Amazônia e o Comitê Técnico. Eles não podem fazer isso sem acordo com a Noruega e a Alemanha”, declarou Elvestuen.

O ministro destaca também que o Brasil não parece ter mais como compromisso a contenção do desmatamento. “Houve um aumento significativo em julho em relação ao visto no início passado, há motivos para preocupação. O que o Brasil fez mostra que ele não quer mais conter o desmatamento. Um motivo extra para preocupação com o aumento do desmatamento na Amazônia é o chamado ponto de inflexão. Isso significa que, se você cortar muito da floresta, o resto será capaz de se autodestruir, porque o sistema depende da chuva gerada”, avaliou.

Elvestuen ainda disse que o que acontece na Amazônia “é muito sério para toda a luta pelo clima”. “A Amazônia é o pulmão do mundo e todos nós dependemos inteiramente da proteção da floresta tropical lá. Não há cenários para atingir as metas climáticas sem a Amazônia”, disse.

A decisão da Noruega foi anunciada um dia depois do presidente Jair Bolsonaro debochar do corte anunciado pela Alemanha e ter mandado a chanceler Angela Merkel usar o dinheiro para “reflorestar” o país. (pulsar/revista fórum)

Faça um comentário

− 1 = 1