Denúncias de corrupção atingem 10 das 12 arenas da Copa


(foto: Tânia Rego / Agência Brasil)

(foto: Tânia Rego / Agência Brasil)

Deflagrada na última segunda-feira (26), a Operação Cartão Vermelho investiga o desvio de 450 milhões de reais na reconstrução da Arena Fonte Nova, sede baiana da Copa do Mundo de 2014. A Polícia Federal realizou uma busca e apreensão na casa do ex-governador da Bahia e ex-ministro da Casa Civil Jaques Wagner, do PT, principal alvo das investigações.

Com um custo de mais de oito bilhões de reais aos cofres públicos, os estádios da Copa do Mundo de 2014 têm chamado menos a atenção pelas partidas de futebol e mais pelos jogos de interesses entre políticos e empreiteiras. Das 12 arenas erguidas ou reformadas para o Mundial, 10 delas estão envolvidas em investigações de corrupção no País.

Os dois únicos estádios que escapam das denúncias, ao menos por ora, são o Beira-Rio e a Arena da Baixada. Ambos são estádios privados, administrados pelo Internacional e o Atlético Paranaense.

Embora também seja privada, a Arena Corinthians foi citada em delações da Odebrecht. Todos os estádios públicos são alvos de alguma investigação. (pulsar/carta capital)

 

Faça um comentário

3 + 1 =