Copa de refugiados reúne migrantes em São Paulo


(foto: reprodução)

(foto:reprodução)

Com a proposta de dar visibilidade à presença de pessoas que foram acolhidas no Brasil, a organização Cáritas Brasileira e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiado (Acnur) realizarão nos dias 2 e 3 de agosto a Copa dos Refugiados. Ao todo dezesseis países entrarão na disputa.

De acordo com Larissa Leite, coordenadora de Relações Exteriores da Cáritas, os jogos serão uma oportunidade para apontar as políticas necessárias para acolhimento dessas populações no país. Segundo Larissa, o Brasil tem ajudado humanitariamente algumas nações, mas ocorre  um aumento de refugiados sem que haja aumento dos recursos disponíveis para esse atendimento.

Entre as ações fundamentais para os refugiados, ela destaca a orientação profissional e o conhecimento da língua. Larissa apontou ainda novos desafios nesse acolhimento, com a frequente chegada de adolescentes desacompanhados ao país.

As partidas vão ocorrer no Centro Esportivo do Glicério, região da cidade de São Paulo já conhecida pelos imigrantes que são acolhidos pela Missão Paz, organização da Igreja Católica. Os jogos terão duração de 30 minutos e a grande final ocorre no domingo, dia 3. O primeiro jogo será entre Camarões e Iraque. (pulsar/rba)

Faça um comentário

46 + = 56