Comunidade quilombola de Rio dos Macacos denuncia agressões da Marinha


Quilombolas protestaram durante visita da presidenta à Base Naval (foto: Campanha ‘Sou Quilombo’)

Moradores da comunidade quilombola Rio dos Macacos, próxima a Salvador, denunciaram agressões por parte da Marinha do Brasil. Segundo relatos, o acesso à comunidade foi interrompido e os moradores estariam sendo “intimidados” a deixar o local.

A localidade se encontra a cerca de 500 metros da Base Naval de Aratu, onde Dilma Rousseff estava hospedada para passar férias até ontem (9). Durante a permanência da presidenta, moradores da comunidade quilombola fizeram protestos para chamar a atenção para a situação que enfrentam.

O território é alvo de disputa entre a comunidade que habita o terreno há quase 200 anos e a Marinha. A moradora Rose Meire disse à Agência Brasil que os conflitos decorrentes da dificuldade de deslocamento são frequentes, pois a Marinha controla a entrada e saída dos moradores.

Em setembro de 2012, a Justiça baiana determinou o despejo dos moradores da região, atendendo a um pedido de reintegração de posse da Marinha. A Defensoria Pública da União recorreu da decisão que, agora, aguarda julgamento no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

Os moradores também reivindicaram a publicação do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação, elaborado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Segundo eles, o laudo reconhece a comunidade, onde moram mais de 500 pessoas,  como remanescente de quilombo.  (pulsar)

Faça um comentário

− 2 = 1