Com Temer, 64 mil empresas fecharam as portas e demitiram 2 milhões


(imagem: reprodução)

(imagem: reprodução)

Depois do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, 64 mil 368 empresas brasileiras fecharam as portas e mais de dois milhões de trabalhadores e trabalhadoras foram demitidos. Os setores mais prejudicados foram construção e indústria.

Entre 2015 e 2016, o número de empresas registradas no Brasil caiu 1,3 por cento e o total de empregados caiu quatro por cento. As informações são de Marize Muniz, do site da CUT (Central Única dos Trabalhadores).

O total de salários e remunerações pagas no país também teve queda (três por cento) – de 1,66 trilhão de reais para R$ 1,61 trilhão. O salário médio mensal registrou alta de 0,7 por cento.

Os dados são do Cempre (Cadastro Central de Empresas) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), banco de dados que tem informações sobre todas as empresas formais constituídas no país, e foram divulgados nesta quarta-feira (27). Segundo o instituto, “houve redução em quase todas as variáveis analisadas,  em decorrência da crise econômica, com exceção apenas do salário médio mensal”. (pulsar/rba)

 

Faça um comentário

59 − = 50