Centrais sindicais se unem em Curitiba para 1º de Maio por Lula Livre


(foto: Paulo Pinto/AGPT)

(foto: Paulo Pinto/AGPT)

Às vésperas do 1º de Maio, Dia do Trabalhador, além de mobilizações espalhadas pelas diversas capitais brasileiras, as centrais sindicais organizam um ato unificado em Curitiba, no Paraná, onde está o Acampamento Lula Livre em resistência à prisão política do ex-presidente.

As reivindicações de sete centrais sindicais e das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, unidas na capital paranaense, fazem parte de um cenário mais amplo de defesa da classe trabalhadora. As principais bandeiras são a revogação da reforma trabalhista, contra a reforma da Previdência, defesa dos direitos e pela liberdade do ex-presidente Lula.

Para Vagner Freitas, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), será um dia histórico, por ser o primeiro ato unificado desde a redemocratização do país.

Caravanas nacionais e internacionais participarão da manifestação unificada em Curitiba. A movimentação contará com a presença de artistas a partir das duas horas da tarde na Praça Santos Andrade (Praça da Democracia). Às quatro horas da tarde, haverá o ato político com a presença dos presidentes das centrais sindicais, representantes dos movimentos populares e parlamentares. O local fica a aproximadamente nove quilômetros da sede da Polícia Federal, onde Lula é mantido como preso político, desde o dia 7 de abril.

Na capital de São Paulo, a manifestação será na Praça da República, a partir do meio dia. Em Macapá, no Amapá, será realizada uma vigília com ato público às nove horas da manhã, na sede da CUT. No Distrito Federal, os trabalhadores e trabalhadoras se reunirão às nove horas da manhã no estacionamento entre a Funarte e a Torre de TV. Haverá um debate político, além de apresentações culturais e atividades para as crianças.

No Pará, haverá atos no 1º de Maio na capital, Belém, às nove horas da manhã, na Praça da República e nas cidades de Abaeté, Altamira, Barcarena, Cametá e Igarapé Miri. No Rio de Janeiro, a concentração está marcada na Praça XV, no centro da cidade, às duas horas da tarde. Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a manifestação será no Parque da Redenção às dez horas da manhã. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

22 + = 31