Centrais sindicais realizam paralisação contra as Reformas Trabalhista e da Previdência


Centrais sindicais param o Brasil contra as reformas da Previdência e Trabalhista (foto: reprodução)

Centrais sindicais param o Brasil contra as reformas da Previdência e Trabalhista (foto: reprodução)

Na próxima sexta-feira (30) centrais sindicais de todo o Brasil realizam  paralisação  contra as reformas Trabalhista e da Previdência que tramitam no Congresso e colocam em risco direitos sociais.

Ricardo Patah, presidente da União da União Geral dos Trabalhadores (UGT), entidade que representa mais de 5 milhões de trabalhadores no país, disse à Pulsar Brasil que o movimento sindical ainda não conseguiu sensibilizar a população sobre o retrocesso que será a aprovação da Reforma Trabalhista. Para Patah, o apelo maior do movimento está com a Reforma  da Previdência. Ele acredita que o ato desta sexta levará muitas pessoas para as ruas, mas num formato diferente da mobilização que ocorreu no dia 28 de abril.

O presidente da UGT destacou também os sucessivos atentados contra a classe trabalhadora propostos pela Reforma Trabalhista. Segundo ele, a nova legislação coloca o empregador em uma posição privilegiada e retira direitos já conquistados pelos trabalhadores há 80 anos, deixando–os em uma situação de alta vulnerabilidade social.

A votação da Reforma Trabalhista no Senado está agendada para a próxima semana. O projeto já obteve parecer favorável na Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania (CCI). Passando pelo Senado, a etapa seguinte será a sanção presidencial.

Os atos contra as reformas de Michel Temer irão ocorrer em todo o país.  A Central Única dos Trabalhadores (CUT) divulgou  uma lista com as categorias que  irão paralisar as atividades nesta sexta-feira. (pulsar)

Audios:

Faça um comentário

+ 19 = 21