Campanhas dos presidenciáveis em 2014 passam dos 900 milhões de reais


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

No último sábado (5), com o término do prazo para a entrega da documentação dos candidatos aos cargos públicos nas eleições de outubro deste ano, as cifras das campanhas dos presidenciáveis chamam a atenção. As estimativas de gastos de cada um é uma exigência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, somados, os 11 candidatos ao Palácio do Planalto devem gastar mais de 916 milhões de reais somente no primeiro turno.

Entre os candidatos à Presidência da República estão Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL) e Zé Maria (PSTU). Os três primeiros nas pesquisas de opinião até momento são os que mais vão gastar.

Candidata à reeleição, Dilma Rousseff estabeleceu o limite de gasto em 298 milhões de reais, em 2010 foram 151 milhões. O tucano Aécio Neves prevê gastar com 290 milhões. Na última eleição, quando José Serra foi candidato à Presidência pelo partido, foram previstos 180 milhões. Já o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), prevê a quantia de 150 milhões.

No entanto, há candidaturas que preveem gastos bem menores que não chegam à casa do milhão. É o caso do candidato Mauro Iasi (PCB) que prevê gastar 100 mil reais, seguido dos candidatos Rui Costa Pimenta (PCO), com 300 mil, e Zé Maria (PSTU), com 400 mil. A candidata do PSOL, Luciana Genro, prevê gastos de 900 mil reais. As previsões podem ser revistas em caso de segundo turno nas eleições. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

58 − 55 =