Campanha pela democratização da mídia mantém atividades durante esta semana


(arte: fndc)

(arte: fndc)

A Semana Nacional de Luta pela Democratização da Comunicação teve as principais atividades realizadas entre os dias 13 e 18 de outubro em nove estados além do Distrito Federal. A mobilização ainda não acabou. Ao longo desta semana, Rio Grande do Norte e Minas Gerais continuam na coleta de assinaturas pelo Projeto de Lei da Mídia Democrática e com aulas em espaços públicos sobre o tema.

A mobilização nas ruas pretende levar até a população a importância de uma nova regulação do sistema de comunicação do país que estimule a concorrência e proíba outorgas de concessão para políticos com mandato eletivo. De acordo com Bia Barbosa, do Coletivo Intervozes, enquanto a sociedade não se indignar com a outorga de canais de rádio e TV para políticos, o debate público das questões mais essenciais para a sociedade estará contaminado por essa troca de benefícios entre políticos e mídia.

Os encontros que ocorreram por diferentes estados do Brasil, trouxeram à tona também a discussão sobre o coronelismo eletrônico. A expressão, segundo a pesquisadora Susy dos Santos, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) , caracteriza-se pela relação de clientelismo entre os detentores do poder político e os proprietários de canais de televisão e emissoras de rádio.

 Segundo Susy, o radiodifusor não precisa ser um coronel tradicional, dono de terras e de poder político na sua região, para ser inserido no conceito de coronelismo eletrônico. De acordo com a pesquisadora, essa relação clientelista provoca uma ruptura na autonomia das instituições sociais porque mantém um alinhamento da mídia com interesses partidários. (pulsar)

*Informações FNDC

Faça um comentário

25 − 22 =