Campanha “30 dias por Rafael Braga” denuncia racismo estrutural


(foto: Mídia Ninja)

(foto: Mídia Ninja)

Racismo estrutural, seletividade penal, guerra às drogas, tráfico e politização da Justiça: a história de Rafael Braga, desde sua prisão até as condenações, é vista por militantes do movimento negro e ativistas de direitos humanos como uma das mais emblemáticas para demonstrar a falha do sistema judicial brasileiro quando se trata da população negra. Para expor essa realidade e debater essas questões, organizações e voluntários iniciam, nesta quinta-feira (1º), em São Paulo, a ação “30 dias por Rafael Braga”.

As atividades se estenderão até o final do mês e pretendem reunir psicólogos, criminalistas e jornalistas para a realização de debates, exibição de filmes e documentários que abordem a seletividade carcerária, o racismo estrutural e como essas questões afetam a sociedade.

A historiadora Suzane Jardim, uma das organizadoras da ação, classifica o caso de Rafael Braga como “urgente e simbólico”, por sintetizar todas essas questões, e diz que a opção por realizar diversas atividades se deve ao fato de querer conscientizar toda a população, “não só a militância”.

Para ela, a questão de Rafael Braga é política e, por isso, é “muito importante que se denuncie, proteste, que faça a história do Rafael correr, porque não é só a história do Rafael, mas sim de milhares de pessoas que estão privadas de liberdade no Brasil, acusadas dos crimes de tráfico e associação, condenadas tão somente com base na palavra de policiais, através de provas forjadas e depoimentos obtidos sob tortura”.

Em 2013, enquanto carregava somente dois frascos lacrados de produto de limpeza em sua mochila, o catador Rafael Braga foi preso sob a acusação de portar explosivos. Em janeiro do ano passado, ele foi detido novamente enquanto respondia em regime aberto e usava tornozeleira eletrônica. Desta vez, ele foi acusado de tráfico de drogas e associação ao tráfico e, mesmo negando ser o dono dos entorpecentes, foi condenado a 11 anos e três meses de reclusão.

O lançamento oficial da campanha “30 dias por Rafael Braga” acontece nesta quinta (1º), a partir das sete horas da noite, na Ação Educativa (Rua General Jardim, 660, próximo ao metrô Santa Cecília), em São Paulo. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

− 7 = 2