Brancos serão quase 80 por cento na Câmara dos Deputados e negros permanecem sub-representados


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

A partir de 2015, apenas 20 por cento das cadeiras da Câmara dos Deputados serão ocupadas por candidatos que se autodeclaram pretos ou pardos. Este resultado só vem a confirmar a sub-representação de negros na casa legislativa. Na população em geral, segundo o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ), eles representam mais de 50 por cento do total.

Esta é a primeira eleição que utilizou a autodeclaração de cor ou raça, segundo os termos do próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ao registrar sua candidatura, todos os candidatos deveriam escolher entre branco, pardo, preto, amarelo ou índio.

Entre os 513 deputados eleitos no último domingo, 410 deles, ou seja, quase 80 por cento se declararam brancos. Outros 81 deputados, pouco menos de 16 por cento se disseram pardos e 22, apenas 4,29 por cento, pretos. Nenhum candidato que se declarou como amarelo ou índio foi eleito para a Câmara dos Deputados neste ano.

Dos 28 partidos que elegeram deputados federais neste ano, sete deles terão bancadas formadas só por brancos: PEN, PPS, PRP, PRTB, PSDC, PSL e PTdoB. No caso do PT, entre os 70 eleitos pelo partido, 18 se declaram pardos ou pretos. Já o PSDB tem 95 por cento de candidatos brancos na sua bancada de 51 deputados.

Quatro estados terão bancadas formadas apenas por deputados federais brancos: Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Tocantins. Além disso, mais de metade das Unidades da Federação, 15 delas, não têm deputados que se declararam pretos. Os candidatos que se declararam pretos e pardos também tiveram mais dificuldades de elegerem que os brancos. Um a cada dez brancos foram eleitos. No caso de pretos e pardos, somente um a cada 30 conseguiu uma vaga. (pulsar/carta capital)

Faça um comentário

− 1 = 1