Áudio fake vazado no Twitter: OAB e Abraji dizem que Bolsonaro usa poder para intimidar jornalistas


O presidente eleito Jair Bolsonaro durante visita ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Em nota conjunta emitida nesta segunda-feira (11), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) saíram em defesa da jornalista Constança Rezende, d’O Estado de São Paulo, e do pai dela, o também jornalista Chico Otávio, d’O Globo.

“Jair Bolsonaro fez um novo ataque público à imprensa, desta vez valendo-se de informações falsas. Isso mostra não apenas descompromisso com a veracidade dos fatos, o que em si já seria grave, mas também o uso de sua posição de poder para tentar intimidar veículos de mídia e jornalistas, uma atitude incompatível com seu discurso de defesa da liberdade de expressão”, diz a nota, em relação ao áudio fake compartilhado por Bolsonaro neste domingo (10), no Twitter.

Na publicação, Bolsonaro afirma que ela “diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o impeachment do presidente” e ataca a imprensa. “Ela é filha de Chico Otavio, profissional do ‘O Globo’. Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos”

Na gravação, no entanto, Constança fala sobre as denúncias do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre a movimentação atípica de R$ 1,2 milhão nas contas de Fabricio Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Na conversa, em inglês, a repórter avalia que “o caso pode comprometer” e “está arruinando Bolsonaro”. Em nenhum momento declara que seria sua intenção arruinar o governo.

“Quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia, a existência de uma imprensa livre e crítica”, dia a nota emitida pelas entidades representativas de advogados e jornalistas. (pulsar/revista fórum)

Faça um comentário

16 + = 19