Atingidos por Belo Monte exigem agilidade em reassentamento urbano


(foto: mab)

(foto: mab)

Os atingidos por Belo Monte estão angustiados com a demora da Norte Energia em garantir o reassentamento das famílias dos baixões de Altamira, no Pará. A empresa se comprometeu a mudar 4 mil e 100 famílias até o fim do ano, mas até agora somente 257 famílias foram deslocadas.

De acordo com Janaína, moradora do bairro Boa Esperança,  a empresa informou que estaria tudo certo há dois meses, mas até agora não se sabe quando ocorrerá a mudança. Na sua rua, muitas famílias já foram realocadas para o loteamento Jatobá, mas algumas ficaram para trás e se sentem inseguras.

O próprio gerente de realocação urbana da Norte Energia, Amauri Daros, reconheceu o atraso. Segundo ele, a meta é mudar de 28 a 32 famílias por dia, mas até agora a média está sendo de 15 por semana. O problema apontado por Daros é o  atraso na construção das casas, feitas por uma terceirizada, a Construtora Central do Brasil (CCB) e na instalação elétrica, que depende da Celpa.

 A maior preocupação da população que mora na área dos baixões é com o comportamento do rio durante o inverno, já que mais da metade da obra da barragem está concluída. Além disso, nem todos os cadastrados terão direito a uma nova casa. A empresa realizou 7 mil 790 cadastros, mas só está construindo 4 mil e 100 casas. (pulsar/ mab)

Faça um comentário

2 + 3 =