Arena Amazônia: quase pronto novo estádio em Manaus recebe crítica internacional


Arena deverá ter forma de uma cesta de palha indígena (foto: reprod.)

Arena deverá ter forma de uma cesta de palha indígena (foto: reprod.)

A construção da Arena da Amazônia, novo estádio de Manaus, já atingiu 84% de execução. Nesta segunda-feira (30) foi anunciado que o gramado especial já começou a ser plantado no local. Semana passada um artigo do jornal norte americano The New York Times questionou a necessidade de uma arena dessa dimensão em um estado sem tradição no futebol brasileiro.

No total, serão investidos 605 milhões de reais na construção da Arena Amazônia que receberá quatro jogos da 1ª fase do Mundial de 2014. A previsão é que o estádio fique pronto em dezembro.

Segundo o artigo do jornal estadunidense, assinado por Sam Border, o clima e infraestrutura da região norte do País são um dos principais entraves para o projeto. Um deles, é garantir materiais para as cadeiras que resistam ao calor da cidade.

Ele também aponta para o risco do estádio se tornar um elefante branco. Isso porque Manaus não é uma cidade com forte tradição no futebol brasileiro. Cita como exemplo o fato de um jogo no mês de agosto ter levado apenas mil torcedores para um pequeno estádio na zona leste da cidade para um jogo do time amazonense Nacional. Enquanto isso, a Arena Amazonas terá espaço para 42 mil pessoas.

Sam Border encerra o artigo apontando para os futuros paradoxos. O grande estádio, que foi projetado para parecer uma cesta de palha indígena ficará circundado por diferentes cenários, como o bairro nobre de Ponta Negra contrastando com as “bravas” favelas amazonenses. (pulsar)

Faça um comentário

61 − 60 =