Amarc Brasil realiza Seminário para debater convergência de mídia e futuro das rádios comunitárias


(arte: Amarc Brasil)

(arte: Amarc Brasil)

A informação está cada vez mais veloz. A internet e os aparelhos celulares smarthphones  trouxeram uma nova forma de  fazer comunicação.  Rádio, tevê e impresso expandiram a sua atuação para plataformas digitais  e criaram novos mecanismos de interação com o público. E como essas novas tecnologias estão sendo absorvidas pelas rádios comunitárias no Brasil?

Com o intuito de compartilhar experiências e promover o debate sobre o futuro das rádios comunitárias em tempos digitais, a Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC-Brasil) realiza nos dias 4 e 5 de dezembro, na Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina, o Seminário Regional Norte-Nordeste sobre convergência midiática.

De acordo com a coordenadora da AMARC, Claudia Arango, o encontro reunirá grupos de radialistas, professores, estudantes e coletivos de mídia para debater sobre as principais transformações sociais, políticas e culturais da mídia.

Claudia destaca ainda que  o Seminário pretende fortalecer a discussão sobre gênero e   também aproximar os saberes dos povos originários das novas tecnologias e, para que isso seja possível, o evento contará com a presença de ativistas do movimento negro e indígena que atuam também  em emissoras comunitárias.

Além  disso, o Seminário será um espaço para conhecer  experiências que aliam comunicação e cidadania, como o Radiotube, e também novos conceitos como, por exemplo, a ideia de Rádio Híbrido, trazida pelo Laboratório de TeLemídia da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ).

O encontro é aberto ao público e tem entrada gratuita. O Seminário ocorrerá na UFPI, no Auditório  Maria Salomé Cabral do Centro de Ciência da Educação a partir das nove da manhã. A programação completa do Seminário já está disponível para consulta. (pulsar)

Audios:

Faça um comentário

+ 26 = 34