AMARC Brasil lança carta alertando comunicadores sobre publicidade do governo em defesa da Reforma da Previdência


Manifestação contra a Reforma da Previdência no Rio. (foto: Jaqueline Deister)

Manifestação contra a Reforma da Previdência no Rio. (foto: Jaqueline Deister)

A Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC Brasil) lança nesta segunda-feira (24) uma carta em repúdio a medida do governo de Michel Temer que destina recursos de publicidade federal para os veículos de comunicação que defenderem a Reforma da Previdência.

O documento denuncia que a ‘informação está sendo usada como moeda de troca e barganha política’. A carta cita uma reportagem publicada no Estadão em 10 de abril que aponta o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco e o líder do governo na Câmara Federal, Agnaldo Ribeiro, como os principais articuladores da medida que pretende comprar o apoio de deputados e senadores dos estados onde a aprovação do governo está negativa com uma verba de 180 milhões de reais para a veiculação de propaganda favorável à Reforma da Previdência.

Segundo a AMARC, o foco principal dos recursos seria a Região Nordeste, onde 78 por cento da população desaprova o governo Temer, de acordo com o Vox Populi.

A Associação denuncia ainda que ‘a relação ilegal de políticos que se beneficiam de espaços públicos, concessões de rádio e TV para angariar votos e capital político é uma violação do direito à comunicação e um atentado à democracia’.

Junto com a carta, a AMARC Brasil preparou um conteúdo exclusivo  para combater a campanha ‘falaciosa’ promovida pelo governo federal em defesa da Reforma da Previdência. A Associação produziu quatro spots de rádio que desconstroem alguns dos principais argumentos pró- Reforma. O material pode se reproduzidos livremente por todas as emissoras, desde que seja citada a fonte. (pulsar)

Audios:

Faça um comentário

30 + = 40