Adolescente vítima de homofobia na escola morre em São Paulo


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

O adolescente Peterson Ricardo de Oliveira, de 14 anos, que se envolveu numa briga na escola pública em Ferraz de Vasconcelos, Grande São Paulo, morreu na última segunda-feira (9). As investigações iniciais apontam que as agressões podem ter sido motivadas por homofobia.

O delegado do caso, Eduardo Boiguez Queiroz, confirmou que o menino brigou com alguns garotos na porta da escola e após quatro horas passou mal. Segundo Queiroz, Peterson tinha um aneurisma, mas não é possível ainda afirmar que ele tenha morrido em decorrência das agressões.

O pai de Peterson, Márcio Nogueira, disse não saber que o filho sofria preconceito na escola. Segundo ele, a informação veio pelo delegado. A família decidiu divulgar  na mídia para evitar que outras crianças sofram a mesma discriminação.

Nas redes sociais, a morte do jovem gerou muita repercussão. Em sua página no facebook, o deputado estadual do Rio de Janeiro pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Jean Wylys, recriminou a homofobia e questionou a necessidade de criminalizar a violência contra a população LGBTs.

O deputado ainda destacou o recente desarquivamento do Estatuto da Família pelo Presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Segundo Wylys, o projeto institucionaliza a discriminação. (pulsar)

Faça um comentário

− 1 = 1