8ª Marcha da Classe Trabalhadora reúne centrais sindicais de todo o país


(imagem: reprodução)

(imagem: reprodução)

Nesta quarta-feira (9), as centrais sindicais de todo o país realizam a 8ª Marcha da Classe Trabalhadora: por mais direito e qualidade de vida, em São Paulo. Entre as reivindicações do ato está a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução dos salários.

Para Marcelo Rodrigues,  diretor da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Rio de Janeiro,a retomada da unidade do movimento sindical é fundamental para fazer avançar a pauta da classe trabalhadora, que tem como principais pontos o fim do fator previdenciário, a redução dos juros e do superávit primário, a redução da jornada de trabalho sem redução de salário, o combate ao PL 4330, que amplia a terceirização, e a igualdade de oportunidades para homens e mulheres.

De acordo com Marcelo, apesar das divergências entre as centrais sindicais, todas apoiam as pautas relativas à garantia dos direitos dos trabalhadores. Para isso, a manutenção da política de valorização do salário mínimo se mostra muito importante.

Por ser um ano eleitoral, a CUT pretende entregar um documento sobre a plataforma da classe trabalhadora para todos os candidatos à presidência da república. (pulsar)

Audios:

Faça um comentário

66 + = 70