4ª Copa dos Refugiados no Brasil debate machismo


(foto: Camila Lara)

(foto: Camila Lara)

A Quarta edição da Copa dos Refugiados começou na última sexta-feira (15) e vai até o próximo dia 24, em São Paulo. O campeonato reúne 250 jogadores de 16 nacionalidades.

A primeira edição foi inspirada na Copa do Mundo no Brasil, realizada em 2014 e teve o Haiti como campeão. Na última edição, em 2016, a vitória foi dos representantes da República Democrática do Congo.

Nesta edição, a questão da mulher refugiada veio para o meio de campo. De acordo com Jean Katumba, refugiado congolês e presidente da ONG África do Coração, pela primeira vez elas também vão participar dos jogos em times mistos. Ele explica o que motivou a inserção da pauta feminina na Copa ajuda a gente a entender que a mulher faz parte do jogo e não pode ficar só na torcida.

Neste ano, a final do campeonato será realizada no Estádio do Pacaembu, no domingo (24), às três horas da tarde. A entrada é gratuita e serão aceitas doações de alimentos não perecíveis que serão distribuídos a pessoas refugiadas em situação de vulnerabilidade. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

6 + 4 =