Beto Richa e outras 9 pessoas viram réus por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa


Beto Richa  alega que os fatos já foram esclarecidos (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ex-governador do Paraná, Beto Richa, do PSDB, e outras nove pessoas, viraram réus na primeira instância da Justiça Federal em Curitiba.

De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo participou de um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa na concessão de rodovias do chamado Anel de Integração do Paraná.

Os investigadores estimam que, entre 1999 e janeiro de 2018, as concessionárias pagaram  35 milhões de reais em propina aos agentes públicos que atenderam aos interesses das empresas.

As suspeitas já haviam levado à prisão de Beto Richa, no dia 25 de janeiro, durante o cumprimento da 58ª fase da operação Lava Jato em Curitiba.

O ex-governador foi solto uma semana depois, por decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha.

Na época da prisão, a defesa de Beto Richa informou que os fatos são antigos e já foram esclarecidos pelo ex-governador. (pulsar/ radioagência nacional)

*Com informações da Agência Brasil

Faça um comentário

14 − = 5