Organização de direitos humanos visita ameaçados de desalojo pela Copa em Pernambuco


camagaribe

Moradores de Camagaribe estão ameaçados pela Copa (foto: reprod)

Os relatores da Plataforma Dhesca, organização de direitos humanos, junto do Comitê Popular da Copa visitaram Pernambuco na segunda-feira (18) para produzir um documento a respeito do direito humano na cidade. Muitos moradores alegam não ter para onde ir e cobram solução do governo do Estado para que não fiquem na rua.

Os representantes da entidade, Leandro Gorsdorf e Cristiano Muller, conversaram com a defensora pública Danielle Monteiro que atendia dezenas de moradores do Loteamento São Francisco, comunidade que fica nas proximidades da estação Timbi do metrô, em Camaragibe, região Metropolitana do Recife.

Os relatores ouviram histórias dos moradores ameaçados de despejo como a de Clemilda Maria Leonete de Farias que contou ter mais de dez doenças que a impossibilitam de trabalhar. Sem ter para onde ir, ela vive com apenas 70 reais do bolsa-família e a ajuda dos vizinhos.

O governo do Estado ofereceu apenas 16 mil reais como indenização para Clemilda, que afirma não ter condições de comprar nenhum imóvel em Camaragibe com esse valor. A defensora afirmou a reportagem do site Terra que foi feito um pedido de nova perícia para corrigir o valor de sua indenização.

O problema é que quando os imóveis foram construídos em área pública, como no caso de Clemilda, o governo do Estado só é obrigado a pagar pelas benfeitorias. Além disso, não há previsão de construção de moradias para as famílias que estão sendo deslocadas das suas residências por contas das obras da Copa de 2014 em Camaragibe. (pulsar)

Faça um comentário

33 + = 37