PMs filmados atirando em homens deitados são presos no Rio


No Rio, PM executa suspeito ferido. (foto: reprodução)

No Rio, PM executa suspeito ferido. (foto: reprodução)

Os dois policiais militares que aparecem em um vídeo atirando contra dois homens deitados em frente à Escola Municipal Daniel Piza, na zona norte do Rio, foram presos e autuados por homicídio qualificado, confirmou na manhã desta sexta-feira (31) a Polícia Civil, que não informou a hora da prisão.

Os suspeitos de execução foram encaminhados ao Batalhão Especial Prisional, em Niterói, na Região Metropolitana. Segundo informações do Jornal O Globo, os envolvidos na execução são o sargento David Gomes Centeno e o cabo Fábio de Barros Dias. De 2011 até hoje os dois PMs realizaram 37 autos de resistência em favelas na Zona Norte do Rio, ou seja, morte de suspeitos durante operações policiais.

As imagens circularam nas redes sociais e na imprensa e foram filmadas no mesmo local em que a adolescente Maria Eduarda Alves da Conceição foi baleada. Ela morreu dentro da escola, enquanto participava de uma atividade de educação física.

O assassinato dos dois homens também está sendo investigado pela Corregedoria da Polícia Militar. Em nota enviada à imprensa, a PM disse que o comando da corporação determinou a abertura de “apuração da flagrante ilegalidade”.

Os dois homens mortos estariam feridos no momento em que receberam os últimos tiros, segundo testemunhas. A PM afirma que policiais militares do quadragésimo primeiro Batalhão (Irajá) foram acionados e entraram em confronto com homens que estavam praticando crimes na Rua Prefeito Sá Lessa, na Fazenda Botafogo, próximo ao Rio Acari.

Na manhã desta sexta-feira (31), parentes estiveram no Instituto Médico-Legal para liberar o corpo de Alexandre dos Santos Albuquerque, de 38 anos. (pulsar)

*Informações da Agência Brasil e Jornal O Globo

Faça um comentário

9 + = 13