Mãe de menina baleada no Rio responsabiliza policiais; PM diz que não efetuou disparos


Jenyfer Silene/ Foto: arquivo familiar

A mãe da menina Jenifer Silene Gomes, de 11 anos, que morreu ao ser atingida por tiros, na tarde da última quinta-feira (14), no bairro de Triagem, na zona norte do Rio, afirma que policiais militares foram os autores dos disparos.

Kátia Silene disse que a filha foi baleada na porta do bar que possui e foi atingida por tiros de fuzil no peito. Ela também conta que não havia tiroteio quando a filha foi atingida.

Jenifer já chegou morta ao Hospital Salgado Filho para onde foi levada.

Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que policiais foram até o local após denúncia de roubo de carga em um condomínio no bairro. E que, chegando lá, os agentes encontraram moradores tentando socorrer a menina e deram sequência no atendimento.

Segundo a nota, não havia operação policial na região e nenhum policial efetuou disparos.

Ainda segunda a Polícia Militar, em uma varredura, foi encontrado  um homem baleado carregando uma mochila com entorpecentes e uma pistola calibre 380. Ele foi socorrido em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Engenho Novo.

Um segundo homem também teria sido atingido por tiros e socorrido por moradores locais para unidade de saúde não informada. Moradores da região protestaram contra a morte da menina bloqueando vias e incendiando ônibus. (pulsar)

*Informação da Radioagência Nacional

Faça um comentário

54 − 45 =