Bombeiros atualizam para 34 número de desaparecidos em incêndio de SP


Prédio de 26 andares em chamas desaba em São Paulo (foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Prédio de 26 andares em chamas desaba em São Paulo (foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

O Corpo de Bombeiros atualizou no início da noite de terça-feira (1º) o número de pessoas que ainda não foram localizadas pela equipe de assistência social e que podem estar nos escombros do prédio ocupado por moradores sem-teto no Largo Paissandu, centro da capital paulista, e que desabou na madrugada. De acordo com o capitão Marcus Palumbo, porta-voz da corporação, são 34 os desaparecidos. O número inicial era 45, mas 11 se apresentaram.

Essas pessoas constam no cadastro de moradores do prédio feito pela prefeitura, mas não há confirmação de que elas estavam na hora do incêndio e posterior desabamento. A única pessoa confirmada como desaparecida é a que estava sendo resgatada pelos bombeiros quando o prédio desabou. Ele já está incluído na soma das 34 pessoas.

O capitão acrescentou que, apesar de o número de desaparecidos não estar confirmado, o procedimento de busca permanece o mesmo, independentemente do número de pessoas.

De acordo com o porta-voz do Corpo de Bombeiros, as buscas estão sendo feitas considerando que a vítima ainda pode estar com vida. Somente serão usados aparelhos pesados, como retroescavadeiras após 48 horas do desmoronamento.

Marcus Palumbo informou que o trabalho dos bombeiros seguirá pela madrugada com pelos menos 100 homens. As equipes chegaram a usar cães farejadores, mas, por causa do barulho e da fumaça, não houve grandes avanços com o auxílio deles.

Palumbo afirmou que a partir de agora o trabalho será por quadrantes, separando a área em quatro para facilitar as buscas. Para o capitão, a retirada dos escombros deve durar pelo menos uma semana.

*Com informações da Agência Brasil

Faça um comentário

− 2 = 5