No Chile, lei de cotas busca que mais mulheres ocupem cargos políticos


(foto:reprodução)

(foto:reprodução)

O governo chileno apresentou um projeto de reforma que inclui uma proposta de cotas de gênero para que mais mulheres possam conquistar cargos políticos.

Segundo a presidenta de um respeitado centro de estudos e ações políticas feministas chileno, Carolina Carrera, o Chile é o país na América Latina com o menor percentual de mulheres em espaços que frisam tomadas de decisões. políticas

A integrante do partido Democrata Cristão, Yasna Provost, afirmou que insistiu na aprovação da lei de cotas para mulheres pelo fato do projeto não só propor uma mudança no sistema eleitoral chileno, mas também por incorporar uma maior participação efetiva das mulheres no campo político.

Já Marcela Sabat, do partido Renovação Nacional, destacou que se não fosse pelo projeto da lei de cotas, teria que se esperar no minímo 40 anos para aumentar o número de mulheres no parlamento do Chile. Ela ainda salientou que 60% de militantes nos partidos políticos são mulheres, no entanto ocupam apenas 17% dos cargos políticos. Sabat acredita que não há outra maneira para ampliar a participação feminina na política que não seja por cotas. (pulsar/ agencia púlsar)

Faça um comentário

67 − 57 =