Audiência Pública discute rádio digital no Rio de Janeiro


Será realizada amanhã (14) no Rio de Janeiro uma audiência pública para discutir o rádio digital no Brasil. O Brasil começou a pesquisar padrões de rádio digital em 2010 mas a escolha ainda não foi definida. Com a rádio digital, gera-se possibilidades de tornar o rádio mais interativo e multimídia, porém surgem novos desafios para garantir o direito à comunicação.

Dois padrões estão sendo testados pelo Ministério das Comunicações: o europeu Digital Radio Mondiale (DRM) e o estadunidense HD-Radio. O primeiro é e desenvolvido e mantido por um consórcio sem fins de lucro, por rádios públicas, empresas privadas e centros de pesquisa, enquanto o segundo é um sistema proprietário da empresa estadunidense iBiquity.

Um Conselho Consultivo de Rádio Digital (CCRD), formado por diferentes setores da sociedade e do governo, debate desde o ano passado qual seria o melhor padrão de rádio digital para o país. No entanto, o movimento de rádios livres comunitárias também se mostra preocupado com os caminhos a que podem levar essa mudança.

Para o movimento, é importante que a tecnologia permita um uso diverso e aberto das ondas radiofônicas, garantindo espaço tanto emissoras públicas e comerciais como rádios comunitárias e livres. Por isso, o Movimento Nacional das Rádios Comunitárias (MNRC) começou organizar uma série de Audiências Públicas sobre o rádio digital. A primeira aconteceu o dia 29 de abril em Santa Catarina e a próxima será realizada amanhã (14) no Rio de Janeiro.

O evento, que será realizado na ALERJ (sala 311 do Palácio Tiradentes – Rua Primeiro de Março, s/nº), é aberto ao público geral e será transmitido pela Internet pelo site: www.tvalerj.tv. A Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC) do Brasil divulgou um documento que tira dez dúvidas a respeito da rádio digital. (pulsar)

 

Faça um comentário

+ 70 = 78