Zapatistas e Congresso Nacional Indígena lançam candidata à Presidência do México


Marichuy é médica tradicional e militante indígena (foto: agência efe)

Marichuy é médica tradicional e militante indígena (foto: agência efe)

O Congresso Nacional Indígena (CNI) mexicano, apoiado pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN), anunciou neste domingo (28) o nome de María de Jesus Patricio Martínez, conhecida como Marichuy, como candidata do movimento à Presidência do México para as eleições de 2018.

Mais de mil 480 delegados, conselheiros e observadores de 58 povos indígenas se reuniram em San Cristóbal de las Casas, no estado de Chiapas, centro do movimento indígena mexicano, para escolher a porta-voz do Conselho Indígena de Governo, que será lançada como candidata presidencial, como havia sido anunciado em janeiro.

O movimento indígena deve recolher cerca de 1 milhão de assinaturas para formalizar a candidatura independente de Martínez junto ao órgão eleitoral mexicano. Em um comunicado, o EZLN e o CNI chamaram os indígenas do país a a se organizarem “em todos os rincões do país para reunir os elementos necessários para que o Conselho Indígena de Governo e a porta-voz dos povos originários seja registrada como candidata independente à presidência do país”.

Nascida na comunidade dos índios nahua em Tuxpan, no Estado de Jalisco, Martínez tem 57 anos, é médica tradicional e desde 1994 é porta-voz de sua comunidade. Desde então, vem atuando em hospitais de comunidades indígenas e militando pelos interesses dos nativos mexicanos. Em seu discurso após ser nomeada, Martínez chamou os povos originários a “participar da reconstrução do país” em conjunto ao Conselho Indígena de Governo. (pulsar/opera mundi)

Faça um comentário

49 + = 56