Trabalho doméstico ocupa 40 por cento mais tempo das meninas no mundo


Meninas em vilarejo no Vietnã (foto: ONU)

Meninas em vilarejo no Vietnã (foto: ONU)

Meninas de cinco a 14 anos passam 40 por cento mais tempo — ou 160 milhões de horas por dia — em atividades domésticas não remuneradas e coletando água ou lenha em comparação a meninos na mesma faixa etária. O dado é de um relatório lançado na última semana pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no âmbito do Dia Internacional das Meninas, celebrado nessa terça-feira (11).

O relatório “Aproveitando o Poder dos Dados para as Meninas” inclui as primeiras estimativas globais a respeito do tempo que elas passam executando atividades domésticas, como cozinhar, lavar, cuidar dos membros da família e coletar água e lenha.

Os dados mostram que a carga desproporcional do trabalho doméstico começa cedo, com meninas de cinco a nove anos passando 30 por cento mais tempo — ou 40 milhões de horas a mais — em atividades domésticas do que meninos na mesma faixa etária. Esse número aumenta conforme as meninas ficam mais velhas. De 10 a 14 anos, elas passam 50 por cento mais tempo — ou 120 milhões de horas a mais — trabalhando por dia.

O relatório mostra que o trabalho das meninas é menos visível e, em grande parte das vezes, desvalorizado. Frequentemente, responsabilidades dos adultos são impostas às meninas, como cuidar de membros da família por exemplo, incluindo outras crianças. Em alguns países, coletar água e lenha expõe meninas ao risco de violência sexual.

O documento também mostrou que meninas de 10 a 14 anos na Ásia Meridional, no Oriente Médio e no Norte da África passam, aproximadamente, o dobro do tempo executando tarefas domésticas do que meninos. Os países onde meninas dessa faixa etária enfrentam maior sobrecarga são: Burkina Faso, Iêmen e Somália. (pulsar/onu)

Faça um comentário

− 3 = 6