Trabalhadores movem ação de R$ 5 bilhões contra a Vale em Brumadinho


(foto: Douglas Magno/AFP)

Entidades representativas de trabalhadores vítimas do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, Minas Gerais, informaram ter impetrado uma ação coletiva contra a mineradora. Segundo o advogado Maximiliano Garcez, as associações de classe pedem cinco bilhões de reais como indenização pelos danos morais coletivos e sociais provocados pela multinacional.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (9), Garcez explicou que a ação complementa o processo movido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), acrescentando alguns pleitos.

“Nós também estamos requerendo que a Vale fique responsabilizada até que o último familiar da vítima faleça, nas próximas décadas, que se responsabilize por qualquer necessidade para mitigar o sofrimento dos familiares, seja com relação à saúde física, seja com relação à mental. Requeremos que seja contratada uma empresa que monitore de maneira ativa a saúde física e mental dos familiares e que essa empresa tenha condição de determinar que a Vale pague qualquer necessidade a mais que exista no futuro”, explicou.

Diferentemente da ação civil ajuizada pelo MPT, que tramitará paralelamente, as entidades reclamam reparação por danos morais tanto às famílias dos funcionários que morreram durante a tragédia como aos trabalhadores sobreviventes.

Ao todo, a ação pede que cada uma das famílias de trabalhadores mortos receba uma indenização dez milhões de reais, montante próximo ao fixado pela mineradora em agosto de 2015, conforme detalhou em documento interno, posteriormente obtido pelo Ministério Público de Minas Gerais.

A indenização prevista para cada trabalhador da Vale que estava presente no momento em que a estrutura cedeu é um milhão e meio. O valor pleiteado para os empregados que trabalhavam na região mas que não se encontravam ali, na hora do rompimento, é um milhão.

Garcez explicou que o valor da indenização por dano moral coletivo e social é superior à do MPT, de dois bilhões, porque vieram à tona fatos novos, como a margem de lucro mais recentemente informada pela Vale. Somente no último trimestre de 2018, a empresa faturou três bilhões e 700 milhões de reais.

Em nota enviada por e-mail, a Vale informou que não foi notificada sobre a ação. (pulsar)

*Com informações da Agência Brasil

Faça um comentário

9 + 1 =