Trabalhadores apresentam protocolo de segurança para obras das Olimpíadas


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

Com objetivo de estabelecer as condições necessárias de trabalho nas obras e preparativos para as Olimpíadas de 2016 , foi efetivado na última sexta-feira (27) o Protocolo de Segurança e Saúde no Trabalho – Olimpíadas 2016 Rio de Janeiro. O protocolo é uma tentativa de não repetir o cenário das obras para a Copa do Mundo do ano passado, quando acidentes de trabalho causaram a morte de 14 trabalhadores.

O documento, que servirá de guia para as ações de fiscalização de auditores e entidades representativas dos trabalhadores nos canteiros de obra olímpicos, foi assinado entre a Internacional dos Trabalhadores da Construção e da Madeira (ICM) e a Fundacentro, órgão subordinado ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O protocolo sugere diversas medidas de controle e sistemas preventivos de segurança, e aponta como principais causas de acidentes problemas como terceirização, subcontratação, inadequação de equipamentos e ferramentas, instalação elétrica de alta tensão sem a devida proteção e falta de treinamento e material didático que tenha a ver especificamente com cada obra.

O documento cita também os problemas causados por falhas no cronograma da obra, que se refletem no prazo , no conforto climático, no excesso de horas extras e no trabalho noturno. No que diz respeito à segurança do trabalhador, ICM e Fundacentro querem também o compromisso dos projetistas das obras em todas as suas etapas.

Na cerimônia de lançamento do protocolo, a representante da entidade responsável pela contratação das obras para as Olimpíadas, Tânia Braga, se comprometeu a levar o documento à direção da Rio 2016. (pulsar/rba)

Faça um comentário

49 − 40 =