Ocupação Copa do Povo deixa terreno e aguarda moradia regular


(foto: Danilo Ramos)

(foto: Danilo Ramos)

As famílias que ocupavam desde o início de maio um terreno no bairro Itaquera, zona leste de São Paulo, deixaram o local no último domingo (31) com a promessa de que poderão voltar depois que um conjunto habitacional for construído. Para a retirada das barracas de lona, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que organiza a ocupação, promoveu um ato público em direção à avenida Radial Leste. Cerca de duas mil pessoas participaram da manifestação.

De acordo com o movimento, mais de quatro mil famílias foram cadastradas na ocupação Copa do Povo. O nome foi escolhido em referência aos jogos da Copa do Mundo de Futebol, que ocorreram um mês após a montagem da ocupação, a cerca de quatro quilômetros do Estádio do Corinthians.

A expectativa de Guilherme Boulos, um dos coordenadores do movimento, é que sejam construídas mais de três mil apartamentos na área que tem aproximadamente 150 mil metros quadrados. O empreendimento será construído por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, em parceria com o MTST.

Os critérios a serem usados para atendimento das famílias são os que já estão definidos no programa federal, como renda familiar de até mil e seiscentos reais, prioridade para mulheres chefes de família, idosos e deficientes. Além desses, o MTST adota o critério de envolvimento dos sem-teto nas atividades do grupo. (pulsar/rba)

Faça um comentário

81 − 79 =