Número de comunicadores assassinados cresce no Brasil


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

No mês de novembro mais um radialista foi assassinado no interior do país.  O crime ocorreu na cidade de Lagos de Itaenga, em Pernambuco, no último dia dez.  Segundo informações do décimo segundo Batalhão da Polícia Militar da região, o comunicador Israel Gonçalves Silva foi morto num estabelecimento comercial com quatro tiros.

De acordo com amigos e familiares da vítima, Silva já havia registrado um boletim de ocorrência na delegacia da cidade por ameaças e intimidações.

O comunicador trabalhava na Rádio Comunitária Itaenga FM como apresentador do programa ‘Microfone Aberto’, um  espaço  destinado para falar de política e  denunciar irregularidades locais.

Em nota, a ARTIGO 19 condenou o crime e exigiu que as autoridades brasileiras deem uma resposta rápida e eficaz quando um comunicador  sofrer ameaças, diminuindo as chances de uma ação violenta que culmine em assassinato. A organização ainda destacou que a situação de profissionais do rádio na região Nordeste é alarmante. Segundo a entidade, três radialistas foram assassinados este ano em razão do exercício de sua profissão.

O Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) também se manifestou.  O representante para América do Sul do órgão, Amerigo Incalcaterra, solicitou às autoridades que o país implemente a recomendação feita pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana do Brasil sobre a criação de um Observatório da Violência contra Comunicadores. Além disso, Incalcaterra exigiu que o governo adote medidas efetivas para proteger os profissionais. (pulsar)

Faça um comentário

12 + = 16