Migrantes internacionais somam 272 milhões, 3,5% da população global


(foto: OIM)

Enquanto a maior parte da população global permanece vivendo no país de nascença, cada vez mais pessoas estão migrando em busca de melhores oportunidades, especialmente de emprego, segundo relatório publicado nesta quarta-feira (27) pela Organização Internacional para as Migrações (OIM).

O documento estimou a existência e ao menos 272 milhões de migrantes internacionais no mundo em 2019, o que corresponde a 3,5 por cento da população mundial. Esse número representa um aumento de 23 por cento na comparação com 2010, quando havia 220 milhões de migrantes, ou 3,2 por cento da população global, segundo dados da OIM.

A necessidade de emprego é a principal razão para pessoas migrarem internacionalmente, e os trabalhadores constituem a maioria dos migrantes internacionais do mundo, com a maior parte deles vivendo nos países de alta renda, destacou a OIM.

O relatório mostrou também que o deslocamento forçado tem registrado recordes no mundo, com o número de pessoas internamente deslocadas atingindo 41 milhões, e o número de refugiados chegando a aproximadamente 26 milhões.

Entre os assuntos abordados no relatório, estão mobilidade humana e mudanças climáticas, migração perigosa e infantil, migração e saúde, entre outros temas. (pulsar/onu)

Faça um comentário

1 + = 5