Manifestação pede por fim da violência contra mulheres na Paraíba


Em 2013, 45 mulheres foram mortas na Paraíba. (Foto: ASPTA)

Em 2013, 45 mulheres foram mortas na Paraíba. (Foto: ASPTA)

Uma mobilização levou nesta quinta-feira (19) cerca de 300 pessoas de mais de 30 entidades da sociedade civil às ruas de Queimadas, município da Paraíba. A manifestação lembrou um ano do assassinato de Ana Alice de Macedo Valentim, adolescente de 16 anos.

A jovem, que era agricultora e militante do Polo Sindical da Borborema, foi raptada quando voltava para casa depois da aula. Ela foi estuprada e seu corpo foi encontrado após 50 dias, quando o assassino fez uma nova vítima. Essa conseguiu sobreviver e o denunciou. As informações são da organização ASPTA – Agricultura familiar e Agroecologia.

Segurando faixas, cartazes e distribuindo panfletos, o protesto parou em frente ao Fórum da cidade, onde acontecia uma audiência do caso. Houve um interrogatório do acusado, o vaqueiro Leônio Barbosa de Arruda, de 21 anos. Foram ouvidas, ainda, testemunhas: sua ex-companheira, sua última vítima e seus ex-patrões, donos da fazenda onde o corpo de Ana Alice foi achado.

Depois, a caminhada seguiu até o largo da Igreja Matriz da cidade, onde foi realizado um ato público e uma celebração, com a participação da família de Ana Alice e das famílias de Isabella Monteiro e Michelle Domingos, assassinadas em Queimadas após estupro coletivo em 2012. Também foi lembrada a morte de Elaine de Souza, de 16 anos, morta pelo próprio pai, também no ano passado.

Roselita Vitor, da coordenação do Polo Sindical da Borborema, ressalta que é preciso dar um basta a tanta violência e machismo, ressaltando o direito que as mulheres têm de viver sem serem violentadas. Segundo denunciaram os manifestantes, só em 2012, houve 127 assassinatos de mulheres na Paraíba, além de 45 homicídios, entre janeiro e agosto de 2013.  (pulsar)

Faça um comentário

6 + 1 =