Lei do Aborto completa um ano no Uruguai e nenhuma morte foi registrada


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

Em um ano de vigência da Lei de Interrupção da Gravidez (lei de aborto) no Uruguai, foram realizados 6.676 abortos seguros e nenhuma mulher faleceu. Os dados foram divulgados por um balanço oficial do país. Desde dezembro de 2012, as mulheres uruguaias podem realizar a interrupção da gravidez indesejada em segurança e na legalidade.

Até novembro de 2013, a média foi de 556 abortos por mês, um número próximo a 18 abortos por dia. Do total de procedimentos realizados no marco da nova lei, em apenas 50 casos (menos de 1%) houve complicações leves. O único caso de morte foi de uma mulher que realizou um aborto clandestino, fora de um centro de saúde. Ela já teria chegado em estado grave ao hospital.

Segundo o Subsecretário de Saúde Pública, Leonel Briozzo, a tendência é que o número de abortos diminua ao longo do tempo. Ainda de acordo com Briozzo, o Uruguai tem uma taxa de nove interrupções da gravidez a cada mil mulheres entre 15 e 44 anos, o que coloca o país nas posições mais baixas do mundo, inclusive em comparação aos países da Europa Ocidental, que reportam 12 interrupções a cada mil mulheres.

Do total de abortos, 41% foram realizados pelo setor público e 59% pelo setor privado, a maioria na capital Montevidéu. Em relação a faixa etária, as adolescentes foram as que menos realizaram interrupções da gravidez, cerca de 18%, enquanto as mulheres adultas representaram 82% do total. (pulsar/opera mundi)

Faça um comentário

7 + 3 =