Advogados e ambientalistas apresentam argumentos na Justiça contra construção de viadutos no Parque do Cocó


Manifestantes foram até o Tribunal Regional de Recife (foto: facebook)

Manifestantes foram até o Tribunal Regional de Recife (foto: facebook)

Uma comitiva formada por advogados e ambientalistas contrários à construção dos viadutos no Parque do Cocó, em Fortaleza, realizou uma mobilização em Recife, onde se reuniram com o presidente do TRF5 para apresentar argumentações legais contra o empreendimento. O presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), desembargador federal Edilson Júnior autorizou, na tarde de ontem (14) a continuidade das obras no Parque do Cocó.

A determinação anula a liminar anterior que suspendia a construção de dois viadutos no cruzamento das avenidas Antônio Sales e Engenheiro Santana Júnior. A liminar de suspensão havia sido concedida pelo juiz da 6ª Vara Federal da Seção Judiciária do Ceará, Francisco Roberto Machado.

De acordo com informações do Diário do Nordeste, para fundamentar a decisão, o desembargador alegou que a paralisação da obra causará prejuízo à ordem e à economia públicas. A Prefeitura deu entrada no TRF5 com recurso para suspender a liminar na última terça-feira (13). Apesar de ainda não ter sido notificada oficialmente, a assessoria de imprensa da Prefeitura informa que tomou conhecimento da derrubada da liminar.

Contra a construção do viaduto, manifestantes estão há 35 dias acampados no Cocó e dizem que não vão sair do local. Estudantes e professores do curso de Arquitetura da Universidade Federal do Ceará (UFC) já desenvolveram dez projetos alternativos de mobilidade urbana que dispensariam a derrubada de árvores no Parque Cocó. De acordo com Leonardo Jales, do Movimento Pró-árvore, a capital cearense já perdeu mais de 93% de sua cobertura vegetal nos últimos 30 anos. (pulsar)

Faça um comentário

7 + 2 =