Indígenas Guarani Kaiowá retomam território no Mato Grosso do Sul


Indígenas vivem na beira da estrada há 14 anos (foto: cimi)

Indígenas vivem na beira da estrada há 14 anos (foto: cimi)

A comunidade Guarani Kaiowá do acampamento indígena Apyka’i no Mato Grosso do Sul (MS) retomou neste domingo (15) parte do território reivindicado como tradicional. Atualmente o local está ocupado pela fazenda Serrana, a sete quilômetros do centro de Dourados (MS). As famílias indígenas estão acampadas há 14 anos no local, às margens da rodovia BR-463

Em março, uma criança Kaiowá de quatro anos morreu atropelada na estrada. Outros quatro moradores da comunidade faleceram, vítimas de atropelamentos, e uma sexta pessoa foi morta envenenada por agrotóxicos utilizados nas plantações que circundam o acampamento.

De acordo com informações do Centro Indigenista Missionário (Cimi), a fazenda que incide sobre o território indígena está em processo de demarcação e parte é utilizada para a monocultura em larga escala de cana-de-açúcar.

Os indígenas temem uma retaliação por parte dos fazendeiros e, especialmente, de empresas de segurança privadas que prestam serviço a eles. Diante disso, lideranças indígenas consideram importante que autoridades tomem parte do que está ocorrendo.

Em 1999, a comunidade Guarani Kaiowá foi expulsa do local. Desde então tentaram por duas vezes retomar seu território originário. A última tentativa ocorreu em junho de 2008, quando ocuparam uma pequena parte da fazenda, próximo à mata da Reserva Legal da área, estabelecendo pequenas roças.

Nesse período foram vigiados pela empresa particular de segurança. A Funasa e Funai foram impedidas de prestar atendimento. A ocupação durou até abril de 2009, quando a Justiça determinou a reintegração de posse em favor do fazendeiro. Desde então, o grupo está acampado à beira da rodovia. (pulsar)

Faça um comentário

+ 82 = 85