Homicídios entre jovens crescem 326% e negros são maiores vítimas


Jovens negros são maiores vítimas de homicídio no Brasil

Jovens negros são maiores vítimas de homicídio no Brasil

A violência contra os jovens brasileiros aumentou nas últimas três décadas de acordo com o Mapa da Violência 2013: Homicídio e Juventude no Brasil, publicado ontem (18) pelo Centro de Estudos Latino-Americanos (Cebela). Negros são maioria entre as vítimas.

De 2002 a 2010, dos 231 mil homicídios de jovens registrados, 122,5 mil eram negros, o que corresponde a 53%. No período, houve acréscimo de 18,4% nos casos de negros assassinados, enquanto entre os brancos ocorreu um decréscimo de 39,8%.

Entre 1980 e 2011, as mortes não naturais e violentas de jovens, como acidentes, homicídio ou suicídi, cresceram 207,9%. O homicídio é a principal causa de mortes não naturais e violentas entre os jovens. A cada 100 mil jovens, 53,4 assassinados, em 2011. Os crimes foram praticados contra pessoas entre 14 e 25 anos.

Segundo o mapa, o aumento da violência entre pessoas dessa faixa etária demonstra a omissão da sociedade e do Poder Público em relação aos jovens, especialmente os que moram nos chamados polos de concentração de mortes como zonas periféricas de fronteira e de turismo predatório.

Essa vulnerabilidade também ocorre no arco do desmatamento na Amazônia que envolve os estados do Acre, Amazonas, de Rondônia, Mato Grosso, do Pará, Tocantins e Maranhão.

Para autor do mapa, Julio Jacobo Waiselfisz, esse crescimento se deve às mudanças no modelo de crescimento nacional, na transição da década de 80 para 90. O pesquisador explicou a Agência Brasil que o deslocamento dos interesses econômicos das grandes cidades para outros centros gerou a interiorização e a periferização da violência. No entanto, essas áreas não estariam preparadas para lidar com os problemas.

No entanto, nesse mesmo período assistimos a um forte exemplo de violência institucional cometida contra jovens negros e marginalizados nas grandes cidades. No dia 23 de julho serão completados 20 anos da Chacina da Candelária no Rio de Janeiro. Em 1993 mais de 70 crianças e adolescentes dormiam nas proximidades da Igreja no centro da cidade, quando foram surpreendidas por uma ação de extermínio da polícia carioca. Oito delas morreram fuziladas, sem ter a menor chance de defesa, e outras dezenas saíram feridas. (pulsar)

Com informações de Radioagência NP

Faça um comentário

1 + 1 =