Fazendeiros atiram contra indígenas que reivindicavam agilidade no processo de demarcação de terras


(foto:racismoambiental)

Povo de Terena sofre com ameaças e agressões no MS.(foto:racismoambiental)

O povo indígena Terena reivindicava pela demarcação de suas terras que incide numa fazenda no município de Miranda, no Mato Grosso do Sul, nessa terça-feira (12), quando foram surpreendidos por tiros. Ninguém ficou ferido.

De acordo com as lideranças indígenas que estavam no local, os fazendeiros não queriam dialogar e partiram logo para a agressão. Cerca de vinte famílias da aldeia Passarinho ocupavam a área no momento dos disparos. Além de tiros, os fazendeiros incendiaram um trator que pertencia a comunidade.

O caso ocorreu na área reivindicada como Terra Indígena Pillad Rebuá. O povo Terena exige que seja instituído o Grupo de Trabalho (GT) para finalizar o processo de identificação e demarcação de Pillad, cuja dimensão apontada nos laudos pela Fundação Nacional do Índio (Funai) é de 10 mil e 400 hectares. Hoje, cerca de 2 mil e 200 indígenas vivem em 94 hectares, divididos em duas aldeias, Moreira e Passarinho. (pulsar/brasil de fato)

Um comentário

  1. Muito obrigado por este este mundos grandes cos de pessoas como você

    Fazendas mato grosso

Faça um comentário

1 + 6 =