Em Honduras, mais um líder indígena é assassinado


Protesto com indígenas e camponeses do COPINH  (Foto: Reprodução)

Protesto com indígenas e camponeses do COPINH (Foto: Reprodução)

Nelson García tinha 38 anos e cinco filhos. Também era integrante do Conselho Civil de Organizações Populares de Honduras (COPINH), assim como Berta Cáceres, assassinada no início do mês.

Na tarde de terça-feira (15), apenas treze dias depois do assassinato de Berta, García foi morto com quatro tiros no rosto enquanto estava em casa com seus filhos.

Segundo denunciou a COPINH e a Rede Nacional de Defensoras de Direitos Humanos em Honduras, Garcia apoiou a recuperação de terras de Rio Lindo, que sofreu “um violento despejo por parte da Polícia Militar” no mesmo dia de sua morte.

As organizações afirmaram, também, que dois membros da coordenação geral do COPINH estão sendo ameaçados de captura pela polícia. De Honduras. Fontes do portal mexicano Desinformemonos informaram que essas lideranças estão junto aos desabrigados do Rio Lindo, ajudando os feridos e afetados pelo despejo. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

− 5 = 2