Crise de refugiados leva quase 26 mil crianças não acompanhadas à Itália em 2016


2016 teve o dobro do número de menores de idade desacompanhados em comparação com 2015, segundo Unicef (foto: reprodução)

2016 teve o dobro do número de menores de idade desacompanhados em comparação com 2015, segundo Unicef (foto: reprodução)

Mais de 25 mil e 800 menores de idade não acompanhados chegaram ao litoral da Itália após atravessarem o Mar Mediterrâneo em 2016. De acordo com o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), o número dobrou em comparação com 2015.

Durante 2015, a agência da ONU (Organização das Nações Unidas) registrou 12 mil 360 menores de idade não acompanhados que chegaram à costa italiana. Em 2016, segundo o Ministério do Interior da Itália, chegaram ao país 25 mil 846 crianças não acompanhadas.

A responsável do departamento criado para amparar menores de idade não acompanhados, Maria Caprara, denunciou as dificuldades que enfrenta para acolher estas crianças que, segundo as regras, não podem ficar hospedados com o resto de imigrantes.

Para o Unicef, estes dados mostram que existe “uma perigosa tendência” de um número crescente de “crianças vulneráveis que põem em risco suas vidas para chegar à Europa“.

A organização lembrou que os menores de idade não chegam à Itália para ficar, mas com a intenção de continuar atravessando o continente rumo a outros países, e por isso pediu “uma resposta coordenada” das autoridades europeias.

Apesar do Unicef não especificar os números, a maioria é de adolescentes entre 15 e 17 anos provenientes de Eritreia, Egito, Gâmbia e Nigéria. (pulsar/opera mundi)

 

Faça um comentário

+ 61 = 69