Alerj aprova projeto de lei para agilizar medidas protetivas


(foto: Glenda Otero)

(foto: Glenda Otero)

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio aprovou na quarta-feira (9) um projeto de lei que estabelece procedimentos a serem seguidos pelas delegacias no encaminhamento das mulheres para medidas protetivas.

O pedido da medida protetiva de urgência é assegurado pela Lei Maria da Penha, que acaba de completar 11 anos, e foi criado para romper o ciclo de violência contra as mulheres, estabelecendo o afastamento do agressor da residência.

A deputada Martha Rocha, do PDT, autora da proposta, explica que a lei tem o objetivo de instruir ao máximo o pedido para garantir que a medida seja concedida à mulher vítima de violência.

A lei inclui a instrução de junção no pedido de medida protetiva de informações como declarações de testemunhas sobre a agressão atual e anteriores se houver, documentos de atendimento médico, fotografias de lesões causadas, além de detalhes sobre o agressor, entre outros aspectos.

Martha Rocha ressaltou que o estado do Rio só possui dois abrigos para mulheres vítimas de violência o, o que torna a medida protetiva ainda mais essencial para romper o ciclo de violência contra as mulheres. O projeto segue agora para o governador Luiz Fernando Pezão, que tem 15 dias para sancionar ou vetar a proposta. (pulsar)

*Informação da Radioagência Nacional

Faça um comentário

+ 89 = 98